CBHTO

CBHLP CAPACITA EM DIAGNÓSTICO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO DE IMPACTOS

CBHLP CAPACITA EM DIAGNÓSTICO AMBIENTAL  E GERENCIAMENTO DE IMPACTOS

Representantes de Prefeituras da área da Bacia Hidrográfica do Lago de Palmas, estudantes e membros do CBHLP participaram da oficina de capacitação: Recuperação de Nascentes e Áreas Degradadas, realizada pelo Comitê, no município de Brejinho de Nazaré, nos dias 30 e 31 de agosto. “Essa atividade possui dois sentidos estratégicos: O primeiro, é a interiorização das atividades do Comitê. E o segundo, a busca do envolvimento e integração entre comunidade, poder público local e membros do Plenário do Comitê,” afirma Davis Miranda, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Lago de Palmas – CBHLP.

Dinâmica de conscientização sobre as mudanças ambientais

O tema foi desenvolvido com apresentações, debates em grupos e dinâmicas, sob a orientação da consultora Eliana Pareja. “Quando uma floresta é queimada ela passa de captadora de carbono, de pulmão do mundo para emissora de gases nocivos à vida no planeta”, alertou a instrutora acrescentando a informação de que no Brasil, a cada hora é desmatada uma área do tamanho de um campo de futebol (105 x 68 metros).
Para aproximar a teoria da prática os participantes foram divididos em grupos e estimulados a fazer uma lista com nomes de plantas nativas do cerrado e com plantas nativas da floresta amazônica. O resultado foi surpreendente para todos. A maior lista chegou a ter 46 nomes de plantas.

“Essa oficina trouxe informações que serão muito úteis no meu município. Tudo foi repassado com muita qualidade e de forma muito acessível”, afirma Euvaldo Ferreira Gomes, membro do Comitê e Secretário de Meio Ambiente de Santa Rita do Tocantins.

A capacitação faz parte do Plano de Trabalho do Comitê, elaborado de acordo com o Termo de Parceria 002/2017, firmado entre a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Semarh e o Instituto Ecológica para desenvolvimento do Projeto de Apoio aos Comitês de Bacias Hidrográficas do Tocantins, com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos.

O encerramento da oficina foi feito com uma aula prática no campo onde foram diagnosticadas espécies e feito uma simulação de reflorestamento.